4 quadrinhos russos que renderiam bons filmes

Adaptações de quadrinhos russos que gostaríamos de ver nas telas
por: 08 de agosto de 2017
0 Flares Facebook 0 Twitter 0 0 Flares ×

Eu estava empolgado pra Os Guardiões (ou The Guardians, ou Protectors, ou Defenders, ou Zashchitniki…). Convenhamos: a ideia de um filme de super-heróis russos parece legal pra caramba, e apesar de um homem-urso com uma submetralhadora nas costas ser meio estranho dentro dos contextos realistas e “sérios” que a maioria dos universos cinemáticos dos quadrinhos nos trazem hoje, ainda assim, os trailers desse filme faziam tudo parecer até que legal e divertido.

As expectativas, mesmo moderadas, não passaram nem perto de serem atendidas. Apesar de ver algum valor na produção e recomendar a todos meus amigos que vejam e discutam sobre, não nego que o filme é fraco DEMAIS. Vale ver pra ter uma noção do que está rolando fora do eixo norte-americano de produções, e talvez pra apoiar esse mercado que está surgindo, mas meio que é só isso. De resto, o filme é bem ruinzinho.

Por isso, pra tirar um pouco do gosto amargo da decepção, fiz um breve levantamento de quadrinhos de heróis russos que provavelmente renderiam filmes infinitamente melhores.

Vamos lá?

INOK

Imagine uma mistura de Capitão América com Constantine ou Dr. Estranho, ou uma versão russa de Samurai Jack. De certa forma, esse é Inok.

O personagem é um super patriota com poderes místicos, que viaja para diversos momentos históricos importantes da Rússia para garantir o melhor para sua nação, sempre com um pesar em suas ações que deixa o leitor pensando sobre seus pecados do passado. O que Inok teria feito para viajar no tempo, batalha atrás de batalha, para preservar o futuro russo?

Além da possibilidade de ver mais da história russa contada de uma maneira diferente, o aspecto visual do filme seria algo interessantíssimo, principalmente se trouxesse uma de suas principais características para as telas: os detalhes e as fontes que remetem ao estilo visto em antigos documentos históricos e religiosos dessa nação.

DEMONSLAYER

Danila é Besoboi, o Caçador de Demônios, um sombrio vigilante que extermina criaturas sobrenaturais com os poderes de suas tatuagens místicas, feitas com (atenção aqui) o sangue do Diabo. Acompanhado do demônio Sneak, Danila é quase um casamento entre Spawn e o Justiceiro. O soldado musculoso utiliza-se de seus poderes e de armas místicas para trucidar sem dó as criaturas do inferno, responsáveis pela morte de seus pais.

Demonslayer seria o ideal para quem quer ver a relação da Rússia com o cristianismo ortodoxo e com o misticismo, além de, claro, mostrar toda violência dos quadrinistas de lá. Seria um crossover perfeito com Hellboy.

METEORA

Meteora é difícil de vender por seu conteúdo, já que a história é, basicamente, um Guardiões da Galáxia mais fraquinho. Contudo, uma coisa faz valer a ideia de ver o quadrinho em filmes: ver como os russos imaginam um cenário de space opera.

Acompanhamos aqui Alena Kuznetsova, a contrabandista estourada e impulsiva, apelidada de Meteora por seu comportamento. Ela e seus dois aliados alienígenas entram em aventuras que lembram muito as de Han Solo e Chewbacca em suas histórias solo.

Inclusive, uma curiosidade sobre a personagem é que, apesar de ser claramente uma cópia do padrão de personagem contrabandista do espaço, mas sem tanto das características normalmente atribuídas às personagens mulheres. Apesar de ser uma protagonista clichê em muitos pontos, ela é também uma representante feminina bem forte e independente, provavelmente uma das mais acertadas entre os quadrinhos russos.

OCTOBRIANA AND THE RUSSIAN UNDERGROUND

Essa é uma que talvez os fãs mais clássicos de quadrinhos já conheçam. Octobriana é um dos nomes mais conhecidos das HQs de lá — no meu caso, sem dúvida, o mais. Isso porque a história da personagem de Petr Sadecký já circulou muito por aí, aparecendo inclusive na clássica 2000 AD.

Octobriana, o “Espírito de Outubro”, é um símbolo da Revolução Russa. Se fosse pra fazer uma explicação simples e grosseira, diria que ela é uma heroína soviética que mistura V, Mulher-Maravilha e Tank Girl. Suas histórias são difíceis de explicar, ainda mais com a gama de poderes da personagem, que podia fazer coisas como resistir a um banho de lava, controlar animais e viajar no tempo, além se ser uma expert em combate com armas de fogo.

Suas histórias são um pouco mais… extremas. Isso provavelmente exigiria uma produção na linha de Sucker Punch. E por mais que eu entenda o trauma que muita gente tem com esse filme, vai por mim: uma versão cinematográfica da Octobriana ficaria foda. E como falamos aqui de uma personagem vista como crítica ao sistema soviético, talvez o momento fosse ideal para vermos um filme dela.

EXTRA: CHORNAYA MOLNIA (BLACK LIGHTNING)

Ok, ok, esse filme já existe. Mas, em tempos de discussões sobre filmes de heróis mais sombrios contra filmes mais divertidos, achei que mencionar um tão leve e descontraído seria uma boa.

Black Lightning é Dima Maikov, ou melhor: o carro de Dima. O clássico Volga do rapaz é munido de um poderosíssimo gerador de energia, o nanocatalizador. O aparelho, semelhante a um coração eletrônico, possibilita que as geringonças do carro de Dima funcionem, fazendo ele voar em supervelocidade, por exemplo. Em contraponto, temos o vilão Kuptsov, um empresário que busca o super gerador para dar mais potência à sua broca de perfuração, e assim penetrar mais na terra e extrair mais de suas riquezas.

A trama não é nada complexa, mas ver um cara que se garante com um carro voador e que luta contra grandes corporações é um bom respiro na fórmula mais comum dos filmes de heróis encapuzados. Então seria ótimo vê-lo refeito, com um roteiro um pouco melhor trabalhado, e sem o CG porco dos anos 2000.


ILUSTRAÇÃO METEORA (BG/THUMBS):

ARSENIXC
http://arsenixc.deviantart.com/ | https://www.twitch.tv/arsenixc