Ok, confesso: mordi a língua com Dragon Ball Super. Não que minha opinião inicial estivesse totalmente errada, porque vamos combinar: o revival é BEM problemático, não é? Com incoerências no roteiro e péssimas animações e traços nos arcos iniciais, Super demorou para convencer os fãs de que sua existência era uma boa ideia.

Contudo, ao apagar das luzes do Torneio do Poder, o anime emendou uma sequência fantástica de episódios que colocaram Dragon Ball num patamar absurdo nas últimas semanas: vídeos de react em alta no YouTube, teorias e mais teorias sobre o futuro da franquia discutidas em diversos canais nacionais e estrangeiros, exibições em praças públicas ao redor do mundo (incluindo no Brasil), e até um impasse diplomático entre México e Japão rolou!

O nível do anime na reta final subiu TANTO, que consigo até relevar todas as coisas que ainda acho ruins neste revival. No entanto, é impossível ignorar as muitas coisas boas que Super nos proporcionou, e por isso, decidi fazer este texto com os momentos que mais me marcaram.

P.s.1: Deixei de fora os acontecimentos dos filmes A Batalha dos Deuses e O Renascimento de Freeza porque, apesar de integrarem o anime, são longas lançados separadamente;

P.s.2: Não custa reforçar que, como qualquer lista, esta é completamente pessoal baseada nos meus gostos. Portanto, se não concorda ou acha que ficou faltando algum momento memorável do anime, deixe seu comentário e bora trocar uma ideia! ;)

GOKU VS HIT

Uma das lutas mais memoráveis do anime é entre Goku e Hit, o assassino de aluguel do Universo 6, durante o torneio da Saga Champa.

É nessa briga que vemos pela primeira vez um poder que vai além do SSJ Blue, quando Goku utiliza a clássica técnica do Kaioken — que não víamos desde sua luta com Paikuhan após a Saga Cell em Dragon Ball Z — para aumentar seu poder em 10x e superar a técnica do Salto no Tempo de Hit.

VEGETA VS GOKU BLACK

Se Goku mostra todo o potencial de sua forma Blue durante a luta contra Hit, Vegeta faz o mesmo durante a Saga Trunks ao enfrentar Goku Black no futuro onde seu filho vive.

Devido ao seu recente treinamento, Vegeta consegue superar e humilhar seu poderoso oponente, e prova que o príncipe dos Saiyajins não pode ser derrotado por uma mera cópia de Kakarotto.

O DESPERTAR DO GOHAN MÍSTICO

Se tem uma coisa que Super definitivamente não corrige em relação ao GT, é fazer novamente de Gohan o bom personagem que ele já foi. No entanto, é inegável que o garoto tem seus bons momentos no revival e, mesmo que por um breve momento, volta a ser aquele forte guerreiro que salvou a Terra de Cell e que por pouco não derrotou o Super Buu.

Ao ser convidado por Goku para participar do Torneio de Sobrevivência dos Universos, Gohan decide treinar com Piccolo para recuperar sua antiga forma. O resultado do esforço proporciona aos fãs uma batalha épica entre pai e filho que fez a Terra tremer (literalmente).

RELEMBRANDO DRAGON BALL

Ainda que de forma tímida, Kuririn é um personagem que tem um bom desenvolvimento em Dragon Ball Super. Ao longo das sagas do revival, o melhor amigo de Goku deixa bem clara sua frustração em não conseguir ser tão forte quanto os protagonistas — plot que vem sendo abordado desde a Saga Buu em DBZ —, e também vive em um conflito interno entre continuar seu treinamento e ser apenas um pai de família.

Contudo, assim como Gohan — que teve que retomar o treinamento para integrar a equipe do Universo 7 no Torneio do Poder —, Kuririn recupera seu espírito guerreiro após treinar novamente com Goku e Mestre Kame, o que resulta em vários momentos de pura nostalgia para os fãs de longa data do anime.

A VOLTA DE VEGETTO

Um dos retornos mais aguardados pelos fãs em Super era o de Vegetto, a fusão de brincos Potara entre Kakarotto e Vegeta. E ela acontece no melhor momento possível: no clímax da batalha final contra Gattai Zamasu (a fusão entre Zamasu e Goku Black).

Apesar de curta, a luta entre Vegetto Blue e a Fusão Zamasu é intensa, e com certeza deixa qualquer fã com um sorriso no rosto. Além disso, uma das dúvidas mais populares em relação a Dragon Ball Z é respondida: quando Majin Buu absorve Vegetto, a união entre os dois — que em teoria é permanente —  é desfeita. Em Super é estabelecido que a fusão dos brincos não tem efeito permanente nos humanos, apenas nos deuses.

A (QUASE) MORTE DO MESTRE KAME

Se tem uma coisa que não podemos reclamar de DB Super, é que o anime é cheio de fan services e homenagens pra fã nenhum colocar defeito. A própria formação da equipe do Universo 7 para a Saga final é uma prova disso. Afinal, alguém era capaz de imaginar que personagens como Mestre Kame, Kuririn e Tenshinhan pudessem lutar ao lado de Goku e Vegeta em suas formas mais poderosas?

Um dos momentos mais emocionantes do revival é quando vemos o desespero de Kuririn e Goku ao perceberem que Mestre Kame está morrendo após uma batalha. Em um torneio cujo a eliminação resulta no fim do Universo, perder um personagem no meio da competição pode muito bem significar um adeus definitivo, o que torna a cena ainda mais tensa.

TRUNKS DERROTA ZAMASU

Ainda que as incoerências da Saga Trunks me incomodem demais — sério, não dá pra aceitar o Trunks lutando de igual pra igual contra um ser que derrota Goku e Vegeta Blue —, a construção do clímax deste arco é muito bem feita.

Depois de inúmeras batalhas e surpresas, cabe ao filho de Vegeta a tarefa de dar um fim à Gattai Zamasu. Utilizando sua espada como uma espécie de Genki Dama — que reúne o Ki de todos os humanos daquele futuro caótico que lutavam por sua sobrevivência —, o garoto dá o golpe final no poderoso vilão.

P.s.: O Trunks curte cortar uma galera ao meio hein?

GOKU ALCANÇA O INSTINTO SUPERIOR

Depois de levar uma surra histórica de Jiren e quase ser morto pela sua própria Genki Dama, Goku tem um retorno tão triunfal que deixaria até mesmo Jesus Cristo com inveja. O Instinto Superior é um estado em que nem mesmo os Deuses da Destruição conseguem alcançar com facilidade.

A verdade é que, depois desta transformação, Dragon Ball Super mudou para melhor. Foi nesse momento que os fãs de todo o mundo perceberam que algo especial estava acontecendo diante dos seus olhos.

ANDROIDES 17 E 18 VS RIBRIANNE E ROSIE

Apesar dos momentos épicos de Goku durante o Torneio do Poder, os melhores personagens deste arco para mim são os androides — especialmente o 17, que VENCE A PORRA DO TORNEIO!

Fiquei bem feliz que a 18 voltou a ser relevante após uma participação bem morna na Saga Buu e também com o retorno do 17, que agora é um protetor da vida animal. Os irmãos são a prova de que nem sempre vence quem tem mais força. Ambos são extremamente estratégicos durantes suas batalhas e salvam outros personagens importantes da eliminação inúmeras vezes (incluindo Goku e Vegeta).

GOHAN E FREEZA VS DYSPO: A REDENÇÃO DE GOHAN

Como falei acima, Gohan tem bons momentos em Super, ainda que fique bem abaixo do que o personagem merece e do que os fãs gostariam de ver.

Ao ver Freeza com dificuldades para superar seu oponente, o filho de Goku se junta ao vilão para derrotar Dyspo, o ser mais rápido de todos os universos. A batalha resulta na eliminação de Gohan, mas seu empenho é reconhecido por todos e seu sacrifício para salvar Freeza é crucial para o desfecho da trama mais à frente.

GOKU VS KEFLA

Uma das melhores criações de Super foram as saiyajins do Universo 6, Caulifa e Kale. Após darem trabalho para Goku, que estava cansado após seu primeiro embate contra Jiren, as irmãs se fundem utilizando os brincos Potara do Kaioshin de seu universo.

Kefla é um ser extremamente poderoso e por pouco não eliminou Goku. No entanto, o nosso protagonista foi levado mais uma vez ao limite e conseguiu acionar novamente o Instinto Superior. A eliminação de Kefla — e a forma com a qual Goku a eliminou — é uma das melhores cenas de toda a franquia Dragon Ball.

GOKU E VEGETA VS JIREN: A NOVA FORMA DE VEGETA

Após lutarem contra Jiren separadamente, os orgulhosos e teimosos saiyajins resolvem se unir para enfrentar o cara mais overpower que já pisou nas terra de DB.

Enquanto Goku utiliza seu Kaioken para superar os poderes do SSJ Blue, Vegeta surpreende e supera seus limites na mais pura raça e, assim, nasce a forma Ultra Blue. Jiren tem tanto trabalho para enfrentar os dois ao mesmo tempo, que mais tarde pede para seu aliado Toppo dar conta de Vegeta.

VEGETA ULTRA BLUE VS TOPPO, O NOVO DEUS DA DESTRUIÇÃO

A nova transformação do príncipe dos saiyajins surpreende até mesmo Jiren, que pede para Toppo, recém-transformado em sua versão de Deus da Destruição,  dar conta do orgulhoso guerreiro.

O que Toppo e Jiren não esperavam, era que Vegeta estivesse tão poderoso. Ver a hipocrisia de Toppo — que passa o Torneio todo se autoproclamando um defensor da Justiça e mais tarde aceita se tornar o Deus da Destruição do Universo 11 — foi o gatilho para o saiyajin se enfurecer e eliminar a versão batata doce e frango grelhado do Leôncio, do Pica-Pau.

P.s.: impossível não se emocionar com Vegeta disposto a se sacrificar exatamente como fez contra Majin Buu. Sorte que com a nova transformação seu corpo é capaz de suportar a explosão.

GOKU DOMINA O INSTINTO SUPERIOR POR COMPLETO

Ok, temos um “problema” aqui. Tanta coisa incrível acontece na última batalha entre Goku e Jiren, que teria que fazer um post à parte pra mostrar tudo na íntegra, porque esse já está bem longo.

Portanto, segue a listinha dos brother:

Abaixo, Goku no modo FULL PISTOLA depois que Jiren tenta matar seus amigos:

Afirmo sem dúvida alguma que a batalha final entre Goku e Jiren é uma das melhores brigas que vi EM TODOS os Dragon Ball. Nunca o anime esteve tão bonito e bem desenhado, e a trilha sonora de batalha somada ao dinamismo da luta torna tudo ainda mais especial.

GOKU, FREEZA E 17 VS JIREN: A BATALHA FINAL

Apesar de ter derrotado Jiren, o corpo de Goku cede diante do poder que supera o dos Deuses. Prestes a ser eliminado, o saiyajin é salvo por Freeza e 17, e assim, a luta final pela sobrevivência do universo tem início:

Quem diria que um dia veríamos Goku e Freeza lutarem lado a lado, não é mesmo? Os detalhes dessa sequência tornam a batalha ainda melhor — como Goku e Freeza se jogando em direção ao Jiren completamente esgotados, e Goku tentando manter a transformação de um Super Saiyajin comum. Após tantos episódios e tantas batalhas memoráveis, esta sequência final entra facilmente no hall de melhores momentos da franquia.

Nem mesmo o Dyego adolescente torceu TANTO para Goku e companhia como no último episódio de Super.