Essa é a editoria do Metagene na qual a nossa equipe faz recomendações sobre o que consumimos durante a semana. Gostou da indicação? Então já sabe: Põe na Lista!.


THE OTHER “F” WORD

“Talvez o Punk Rock não tenha sido feito pra crescer… mas cresceu”. E teve filhos!

Como se educa uma criança quando se é garoto propaganda da revolta? Como se mantém o estilo de vida “live fast, die young” quando uma pessoinha depende de você pra fazer café da manhã antes da escola? Como se tornar uma figura respeitável de autoridade quando é justamente o desprezo por toda e qualquer autoridade que te faz ser quem você é?

No documentário The Other “F” Word, de 2011, um rooster invejável de ídolos punks como Tony Adolescent, Rob Chaos, Flea, Lars Frederiksen, Tony Hawk, Jim Lindberg, Fat Mike, Duane Peters e Art Alexakis, fala sobre a construção da paternidade em meio a longas turnês, tatuagens difíceis de explicar pra uma criança de quatro anos e falta de referências familiares. Entre entrevistas brutalmente honestas sobre ser um punk de meia idade e cenas íntimas de estrelas mundiais que também precisam catar o cocô do cachorro no quintal, o filme constrói uma narrativa emocionante sobre virar adulto no centro de uma cena que é refúgio dos jovens inquietos. É tão bom que eu até relevo a grande falha da falta de voz das esposas e namoradas, que são completamente ignoradas no documentário.

E a melhor parte? Está disponível na íntegra no Youtube e você pode conferir clicando aqui. [Ju Perin]

30 E POUCOS ANOS E UMA MÁQUINA DO TEMPO

O que você faria se um dia estivesse de boa no seu quarto e, do nada, caísse num buraco de minhoca que te leva direto pro passado?

Enquanto você pensa, eu te conto o que Karl Bender, um ex-guitarrista de sucesso e seu solitário amigo Wayne DeMint fizeram: construíram uma máquina do tempo e passaram a cobrar entradas para shows de rock do passado (!). Parece loucura, não é? Mas essa é a premissa de 30 e Poucos Anos e uma Máquina do Tempo (Every Anxious Wave), livro da autora americana Mo Daviau. Pense que incrível seria ter a oportunidade de assistir a um show do Nirvana antes de Kurt Cobain tirar a própria vida; ou quem sabe participar do lendário Woodstock de 69! E que tal assistir ao primeiro show oficial dos Beattles?

Não espere por um baita livro, mas a leitura vale a pena pela abordagem diferente envolvendo o tema tão abordado de viagens no tempo. Se você curte ficção científica e música, dê uma chance! [Dyego Seminario]

O MUNDO DE GREG

A nostalgia se tornou um artifício recorrente na cultura pop, mas pouquíssimas obras utilizam e abraçam tão bem este recurso quanto os criadores de O Mundo de Greg (Craig of the Creek no original), que me faz relembrar como era bom ser criança.

Criado por Ben Levin e Matt Burnett (produtores de Steven Universe), a série do Cartoon Network conta a história de Greg, um garoto de 10 anos que, junto de seus dois melhores amigos J.P e Kelsey, vive as mais diversas aventuras na região ao redor do riacho — que é referência para todas as crianças da cidade. A primeira temporada tem 25 episódios incríveis, onde o trio mergulha em jornadas de imaginação e aventura dentro de diversas narrativas fantasiosas — criadas e alimentadas pelas próprias crianças que convivem no riacho. Cidades enormes feitas com caixas de papelão, competições de jogos de cartas, montar o próprio comércio entre crianças que funciona à base de trocas procurando itens necessários para continuarem suas aventuras… e tudo isso sem esquecer de fazer a lição de casa!

Em um mar de diversidade de crianças e histórias, a série te faz voltar no tempo de uma forma mágica. É bem provável que em algum momento você consiga se enxergar em um dos personagens. No meu caso, J.P fez com que o Victor de 10 anos sorrisse dentro de mim cada vez que aquela criança inocente e atrapalhada caia no meio do mato. Quer mais um motivo para assistir a série? Terry Crews é o dublador do pai do Greg!

Se você for assinante de TV à cabo, pode assistir com dublagem em português no serviço de streaming do Cartoon Network clicando aqui. [Victor Alves Pereira]