Essa é a editoria do Metagene na qual a nossa equipe faz recomendações sobre o que consumimos durante a semana. Gostou da indicação? Então já sabe: Põe na Lista!.


ROMEU E JULIETA AO SOM DE MARISA MONTE

Romeu e Julieta é a obra mais famosa de Shakespeare e também uma das tragédias mais levadas aos palcos pelo mundo inteiro, sendo difícil encontrar perspectivas ou roupagens novas na hora de contar essa história — mas é justamente isso que Romeu e Julieta ao Som de Marisa Monte faz, trazendo um novo sopro de vida à essa tão querida, mas tão batida, história. Com direção de Guilherme Leme Garcia, o espetáculo acaba de passar pelo circuito Rio-São Paulo e agora vai embarcar em uma turnê por outros estados do Brasil. Contando com uma equipe criativa que conseguiu encaixar com maestria as músicas de Marisa Monte e Os Tribalistas sem abrir mão da essência da obra original, a história segue a mesma estrutura e muitos dos textos falados (não é um musical 100% cantado) são tirados diretamente do material-base. Ou seja: é a mesma história que já conhecemos, mas contada de uma forma bem diferente.

O repertório pop de Marisa Monte, que inclui hits como “Amor I Love You” e “Um Só”, acabam por trazer um sentimento bastante moderno e uma linguagem jovem e contemporânea à história, o que acaba por ser um dos pontos mais positivos de todo o espetáculo. Além disso, o elenco, que conta com alguns nomes já famosos no teatro musical brasileiro, como Thiago Machado (RENT), Bárbara Sut (Rio Mais Brasil – O Nosso Musical), Kacau Gomes (Lés Miserables) e Bruno Narchi (RENT, Cinderella), é super competente e consegue transmitir segurança e jovialidade em um texto que, em outro contexto, poderia ser considerado datado ou piegas demais.

No geral, apesar de alguns tropeços, o musical é ótimo, bem estruturado, divertido e definitivamente vale a recomendação! [Carol Reis]

DC’S LEGENDS OF TOMORROW

A série mais galhofa do universo DC da CW retornou essa semana nos EUA para a sua quarta temporada, e se vocês nunca assistiram essa loucura, agora é uma boa hora para começar!

Misturando heróis e heroínas do escalão A, B e C da DC Comics, Legends of Tomorrow é uma série derivada de Arrow e The Flash que mostra um time liderado pelo mestre do tempo Rip Hunter (Arthur Darvill) — e posteriormente por Sarah Lance/Canário Branco (Caity Lotz) — viajando no tempo para resolver anacronismos que podem mudar a história e o tempo como conhecemos.

Em sua primeira temporada, LoT sofreu por tentar ser uma obra séria, igual as aventuras de Oliver e Barry em seus respectivos shows. Contudo, com passar do tempo, seus responsáveis entenderam que a melhor coisa para as Lendas era parar de se levar a sério e abraçar aquele nível de galhofa divertida que vemos em alguns quadrinhos e animações — como Liga da Justiça Sem Limites. Com isso, o seriado atingiu um novo patamar e se tornou o material mais consistente de todo o universo de heróis da CW.

As primeiras três temporadas estão disponíveis na Netflix, então corram antes que algum vilão (ou herói) faça alguma besteira e crie uma timeline na qual jamais inventaram conteúdo on demand. [Dyego Seminario]